O QUE EU GANHO?

Conheça as vantagens e os benefícios de ser filiado ao SindJor-MS

MURAL DE EMPREGOS

Está em busca de oportunidade? Quer ser encontrado pelo empregador? Confira o nosso mural

DESCONTO EM FOLHA

É a forma mais prática de contribuir com o SindJor-MS. Saiba como

TABELA DE VALORES 2017

O SindJor-MS sugere valores que podem basear acordos entre empresas e trabalhadores

DIRETORIA

Veja quem são os membros da direção do sindicato para o triênio 2013-2016

terça-feira, 29 de setembro de 2020

 


                                                  Nota de pesar

 

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor MS), se junta a parentes e amigos do jornalista e homem de rádio, Pierre Adri, para lamentar a morte dele,  nesta terça-feira, 29, em Campo Grande, aos 73 anos, de complicações de diabetes. Pierre deixa uma legião de amigos, muitos deles, jornalistas, alguns dos quais ajudou a ingressar na profissão.

O Sindjor MS solidariza-se com os familiares e amigos do jornalista, nesse momento de dor.

 

Sindjor MS


EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA EXTRAORDINÁRIA DOS JORNALISTAS DA TV SBT-MS

 

 

 O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor MS), convoca os jornalistas da TV SBT-MS, para a assembleis extraordinária na forma de teleconferência, a ser realizada no dia 1º de outubro de 2020, quinta-feira, com primeira chamada às 19h30, e a segunda chamada, às 20h. A assembleia será virtual em respeito ao distanciamento social, por causa da Covid 19.

 

Pauta: Discussão e votação da contraproposta enviada pela empresa à nossa proposta para o ACT 2020-2021.

 

 

Walter Gonçalves Filho

Presidente do Sindjor MS

 

 

Campo Grande, 29 de setembro de 2020

 


segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Sindjor MS está na luta contra a Reforma Administrativa e o desmonte dos Serviços Públicos

 


O Sindjor MS participou na sexta-feira, 15, via teleconferência, da plenária de entidades sindicais de MS, que discutiu ações contra a PEC 32/20, do governo federal, que estabelece a Reforma Administrativa que, se aprovada pelo Congresso, provocará o desmonte dos serviços públicos, das empresas públicas e das estatais, o que acarretará grande prejuízo à população, sobretudo às pessoas mais necessitadas pois, o que se pretende, é privatizar ou terceirizar esses serviços e as empresas públicas.

Para isso, na plenária de sexta-feira, que contou com 23 entidades sindicais, entre elas, o Sindjor MS, formou-se o Fórum Permanente em Defesa dos Serviços Públicos, das Empresas Públicas e das Estatais em MS, que promoverá ações para pressionar o Congresso a não aprovar a Reforma Administrativa.

Como primeira ação, no dia 30 de setembro, quarta-feira, Dia Nacional de Luta, será realizado um ato, às 9h, na Rua 14 de Julho, entre a Afonso Pena e a Rua Rio Branco, onde haverá uma performance teatral para denunciar os malifícios da Reforma Administrativa e o desmonte dos serviços públicos.

Para a performance, cada entidade que participa do Fórum, poderá ter até cinco integrantes de sua direção ou da categoria, para participarem, para que não aja aglomeração. Todos deverão estar com máscaras e levar álcool em gel. O ensaio será nesta segunda-feira, 28, às 18h, no salão da ADUFMS, na Av. Senador Filinto Müller, 559 - em frente ao Hospital Unversitario/UFMS, e será dirigido pelo Coletivo Teatral Grupo de Risco. Quem for participar, é só comparecer no salão da ADUFMS, para o ensaio, se apresentando em nome do Sindjor. Vamos participar, representando os jornalistas.

 

Sindjor MS


sexta-feira, 25 de setembro de 2020

MP 936: Mais de 70 jornalistas de Campo Grande tiveram impactos salariais durante a pandemia

De acordo com o levantamento realizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor/MS) nos principais veículos de comunicação de Campo Grande, município da base sindical com maior número de jornalistas, 72 profissionais tiveram jornada e salário reduzidos, dois tiveram suspensão de contrato de trabalho, e pelo menos 3 foram demitidos.  

Foi apurado que desde março, quando iniciou a quarentena, até o dia 22 de setembro, ocorreram ao menos 72 casos de redução de jornada e de salários de funcionários, promovidos por cinco empresas: grupo TV Morena, grupo MS Record, os online Midiamax e Top Mídia News, e o jornal O Estado MS. As reduções variaram de empresa para empresa no tocante aos índices estabelecidos pelas normas: 25%, 50% e 70%, sendo que a maioria foi prorrogada.


A pesquisa concluiu que ocorreram 12 reduções de 25% da jornada de trabalho e salário, uma redução de 50% e 14 reduções de 70%. No grupo TV Morena, a redução foi de uma das duas horas de jornada extensiva.


Confira o número dos jornalistas atingidos: 


Total de reduções: 72 reduções


Grupo TV Record

Total: 15 casos de redução de jornada e de salário

Em 25%: 11

Em 50%: 1 

Em 70%: 3


O Estado MS

Total: 5

Em 70%: 5


Midiamax

Total: 1

Em 70%: 1


TopMídiaNews

Total: 6

Em 25%: 1

Em 70%: 5


TV Morena (incluindo jornalistas das unidades do interior)

No grupo TV Morena, houve redução de 1 hora das duas horas de jornada extensiva:

Total: 45

Suspensão de contratos: 2


Demissões

Total: 3

Midiamax: 2

TV SBT-MS: 1



SOBRE A MP 936


A quarentena iniciada em março deste ano, devido ao novo coronavírus, além de provocar contaminações e mortes, teve também seus reflexos na economia e no mercado de trabalho. Argumentando evitar o desemprego em massa, o Governo Federal editou Medidas Provisória (MP), flexibilizando as relações de trabalho para as empresas, autorizando a redução de jornadas e salários e/ou suspensão de contratos de trabalho.


A MP 936, foi publicada no dia dia 01 de abril de 2020, e trouxe novas regras e condições para a redução de jornada e suspensão temporária do contrato de trabalho, visando, segundo o governo, a manutenção dos empregos sem grandes prejuízos para a renda dos trabalhadores.


Ela é composta pela redução da jornada de trabalho e salário, autorizando os percentuais de 25%, 50% e 70%, e a suspensão temporária de jornada de trabalho pelo prazo máximo de 60 dias.


Esses dispositivos que, quando foram lançados, tinham duração de três meses, para redução de salários, e de dois meses para suspensão de contratos, foram ampliados pelo governo: um mês a mais para os casos de redução, e dois meses a mais, para a suspensão de contratos, totalizando quatro meses de duração para ambas as medidas. E a atividade jornalística não escapou à essa nova realidade.



COVID 19


A categoria dos jornalistas em Campo Grande também foi alcançada pelo novo coronavírus. No mesmo período pesquisado, houve pelo menos 20 casos de jornalistas infectados pelo vírus. Entre esses, há um caso suspeito de reinfecção, em análise, e um profissional veio a óbito, a colega Leyde Pedroso, no dia 29 de agosto.


O Sindjor/MS está entrando em contato regularmente com as redações de toda sua base sindical, acompanhando todos os casos. Esses dados são alarmantes, tendo em vista os riscos aos quais esses profissionais estão expostos nesta pandemia.


 

ONDE ESTAMOS

QUEM SOMOS

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (SindJor-MS) é uma entidade representativa da categoria em âmbito estadual, com exceção de 25 cidades localizadas na região Sul do estado, sob domínio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran). O SindJor-MS está registrado sob o CNPJ nº 15.570.575 0001/17

Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.
Telefone de contato: (67) 3325-5811
EXCEPCIONALMENTE estamos atendendo apenas pelo email sindicatojorms@gmail.com.

ÁREA DE ATUAÇÃO