O QUE EU GANHO?

Conheça as vantagens e os benefícios de ser filiado ao SindJor-MS

MURAL DE EMPREGOS

Está em busca de oportunidade? Quer ser encontrado pelo empregador? Confira o nosso mural

DESCONTO EM FOLHA

É a forma mais prática de contribuir com o SindJor-MS. Saiba como

TABELA DE VALORES 2017

O SindJor-MS sugere valores que podem basear acordos entre empresas e trabalhadores

DIRETORIA

Veja quem são os membros da direção do sindicato para o triênio 2013-2016

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Já produziu foto e vídeo como jornalista? Responda esta enquete!

Foto: Blog E.Mani
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS) considera de suma importância a realização de pesquisas acadêmicas para o aprimoramento de técnicas profissionais, além de reconhecer sua contribuição para uma reflexão crítica e constante quanto o papel do jornalista e do jornalismo para a sociedade.

Diante disto, procuramos dar suporte aos pesquisadores da área com a divulgação de questionários e mobilização para suas aplicações. Portanto, a filiação ao Sindjor-MS não se trata apenas de uma questão trabalhista, mas é necessária para composição de uma base sólida de profissionais e um banco de dados completo para ser utilizado por pesquisadores.

Desta vez, o professor e pesquisador Silvio da Costa Pereira, doutorando da Universidade Federal de Santa Catarina e docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, precisa da ajudar dos profissionais que atuam no estado para conhecer de forma mais ampla a atuação e o tipo de trabalho desenvolvido pelos fotojornalistas brasileiros.

A pesquisa busca compreender as transformações que vem ocorrendo na produção de imagens jornalísticas (fotografias e vídeos), ou seja, no fotojornalismo. Para isso, é necessário que os profissionais que no último ano produziram fotografias ou vídeos com finalidades profissionais, respondam ao formulário online disponível em https://goo.gl/forms/KEfeqTH1BGruwFFq2.

Segue o pedido do pesquisador:

"O sigilo da fonte é uma premissa desta pesquisa, e sua identidade será preservada. Por isso solicitamos a maior exatidão possível nas respostas.

Caso queira nos dar detalhes sobre sua produção, ou mesmo indicar produções que considera interessantes e que são realizadas em sua região, sinta-se à vontade para nos enviar no espaço que destinamos a tais comentários ao final do formulário. Caso queira fazer contato direto conosco, não hesite em escrever para silviodacostapereira@gmail.com, seja para sugerir, conversar, criticar, etc.

Se possível, divulgue nossa pesquisa junto a seus colegas. O reforço da mensagem é nossa esperança para obter o maios número possível de respostas ao presente formulário".

Antecipadamente agradecemos sua atenção à nossa pesquisa.

Silvio da Costa Pereira"

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Juíza do Piauí impõe censura prévia a portal de notícias


A juíza Lygia Carvalho Parentes Sampaio, de Teresina, concedeu liminar para censurar o site de notícias do Piauí 180 Graus. O despacho atendeu ao pedido do empresário Gustavo Macedo, dono da Construtora Caxé, mencionada em reportagens do portal como investigada pelo Tribunal de Contas do Estado.
Na decisão, a juíza argumenta que a liberdade de expressão pode ser censurada quando “exercida sem consciência, responsabilidade ou com intenção de caluniar, difamar, injuriar, satirizar ou ridicularizar”. Afirma que os jornalistas “demonstram a intenção de perpetuar sua conduta” [a publicação de reportagens sobre o caso] e determina a retirada das notícias do portal e a não publicação de novas reportagens que “atinjam a honra dos autores”.
A juíza Lygia Sampaio tem uma compreensão míope da liberdade de expressão. Felizmente, o judiciário brasileiro tem sedimentado entendimento diametralmente oposto ao da magistrada em graus superiores. “Cala a boca já morreu”, lembrou a presidente do Supremo Tribunal Federal, Carmen Lúcia, no julgamento da ADI 4815, que liberou a publicação de biografias não autorizadas. A censura é ferida do passado.
Não cabe em nenhum regime democrático a noção de que um juiz possa impedir qualquer cidadão de pensar, dizer ou publicar coisa alguma. Menos ainda em decisão liminar. A Abraji repudia o entendimento da juíza Lygia Sampaio e espera que ou ela mesma ou o Tribunal de Justiça reconheçam o erro e restituam a liberdade de imprensa no Piauí.
*Diretoria da Abraji, 1º de setembro de 2017.
Fonte; Comunique-se/Abraji

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Jornalista Leonardo Sakamoto faz palestra em Campo Grande

Flávio Florido/UOL
O curso de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), com apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS), traz para Campo Grande um dos jornalistas brasileiros mais combativos da atualidade. Leonardo Sakamoto ministrará a palestra “Jornalismo nos Tempos de Cólera: ódio e intolerância nas redes sociais”, nesta quinta-feira, dia 31 de agosto de 2017, às 18h30, no Anfiteatro do Curso de Arquitetura da UFMS.

Para a coordenadora do curso de Jornalismo, Katarini Miguel, a palestra visa debater os ataques que o próprio jornalista sofre nas redes sociais por defender posições consideradas contra-hegemônicas. “É um dos jornalistas mais combativos e independentes que temos hoje, no sentido de realizar um trabalho que é voltado aos direitos humano”.

A professora também destaca a posição diferenciada que o jornalista tem no exercício da profissão. “Ele está livre das amarras do mercado editorial e de vínculos econômicos. Então ele defende uma causa da sua integridade. É muito interessante mostrar que a defesa que ele faz de determinados assuntos acaba acarretando em consequências para própria vida pessoal”.

Para a presidenta do Sindjor-MS, Marta Ferreira, a palestra é uma oportunidade para debater os rumos sombrios que o comportamento da sociedade pode nos levar. “Sakamoto chama atenção para o respeito às diversidades e aos movimentos sociais. Além disto, nos mostra os caminhos conservadores que, infelizmente, está sendo trilhado pela sociedade”.

Sakamoto é jornalista e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Cobriu conflitos armados em diversos países e o desrespeito aos direitos humanos no Brasil. Professor de Jornalismo na PUC-SP, foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York (2015-2016), e professor de Jornalismo na ECA-USP (2000-2002). É diretor da ONG Repórter Brasil e conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão. Escreve para o Blog do Sakamoto na editoria de Cotidiano do Uol (https://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/).


A palestra “Jornalismo nos Tempos de Cólera: ódio e intolerância nas redes sociais” será realizada nesta quinta-feira, dia 31 de agosto de 2017, às 18h30, no Anfiteatro do Curso de Arquitetura da UFMS (prédio da antiga reitoria, em frente as piscinas).

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

SINDJOR/MS participa de audiência com o Comando-Geral da PM

A Diretoria do SINDJOR/MS - Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul, representada pelo Jornalista, Professor, Doutor Edson Silva - Vice-Presidente, Jornalista Guilherme Cavalcante - Secretário-Geral, e pela Jornalista Marli Nascimento - Diretora de Eventos, esteve em audiência com o Comando-Geral da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul nesta 4ª feira, dia 23/08/2017, às 16h, na sede do Comando-Geral da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul, no Parque dos Poderes.

Agendada com antecedência, a audiência seria com o Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul, Coronel Waldir Ribeiro Acosta, porém em virtude de compromisso dele de última hora com o governador do Estado, os representantes do SINDJOR/MS foram recebidos pelo Coronel Renato Tolentino Alves – Comandante do Policiamento Metropolitano e pelo Tenente Coronel Edson Furtado – Assessor de Comunicação Social da Polícia Militar.

O encontro teve por objetivo fazer ponderações acerca da violência cometida por policiais e pela Página do Facebook “Ser Policial Por Amor” contra jornalistas e a sociedade como um todo, com agressões incontestes aos Direitos Humanos; indagar se o Comando Geral da Polícia Militar compactua com as idéias propagadas por esta, e apresentar a agenda do SINDJOR/MS.

O Coronel Tolentino e o Tenente Coronel Furtado consideram bastante importante e oportuna a visita do SINDJOR/MS, falaram do bom relacionamento que a PM possui com a imprensa e informaram desconhecerem a existência de tal página, mas prometeram averiguar e tomar as providências cabíveis.

Foi discutida, também, a possibilidade de parceria entre as duas instituições visando a realização de Workshops e/ou Seminários para Jornalistas e Policiais visando a orientação sobre a importância da  realização de um trabalhoético, técnico e responsável por ambas as categorias.


 

ONDE ESTAMOS


Rua Engenheiro Roberto Mange, 37 - casa 02 - bairro Amambaí - Campo Grande/MS - CEP 79005-420
(Clique na imagem para ampliar o mapa)
Telefone: (67) 3325-5811
Atendimento: 08 às 13 horas
E-mail: sindicatojorms@gmail.com

QUEM SOMOS

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (SindJor-MS) é uma entidade representativa da categoria em âmbito estadual, com exceção de 25 cidades localizadas na região Sul do estado, sob domínio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran). O SindJor-MS está registrado sob o CNPJ nº 15.570.575 0001/17

ÁREA DE ATUAÇÃO