O QUE EU GANHO?

Conheça as vantagens e os benefícios de ser filiado ao SindJor-MS

MURAL DE EMPREGOS

Está em busca de oportunidade? Quer ser encontrado pelo empregador? Confira o nosso mural

DESCONTO EM FOLHA

É a forma mais prática de contribuir com o SindJor-MS. Saiba como

TABELA DE VALORES 2017

O SindJor-MS sugere valores que podem basear acordos entre empresas e trabalhadores

DIRETORIA

Veja quem são os membros da direção do sindicato para o triênio 2013-2016

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Mesmo durante a pandemia, Sindjor/MS permanece ativo

Com o isolamento social causado pela pandemia do Covid-19, muitas atividades foram suspensas ou modificadas. Mesmo assim, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS) está ativo e realizando ações em prol da classe jornalística, além de estar acompanhando de perto a situação das redações que compõem sua base sindical e buscando formas de ajudar esses profissionais.

Em julho, o sindicato organizou, juntamente com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a testagem rápida para Covid-19 dos jornalistas de Campo Grande e, logo em seguida, dos demais 53 municípios de sua base. Outra atividade importante foi a negociação dos acordos coletivos de trabalho, que passou a ser feita de forma online. Em um dos acordos foi possível obter um aumento salarial, uma conquista muito significativa para os jornalistas, principalmente nesse contexto de pandemia.

Dentre os projetos futuros, estão a montagem de uma pesquisa para saber como os profissionais estão lidando com a jornada de trabalho durante a pandemia, se há, por exemplo, sobrecargas de função e prejuízos nas apurações. O Sindjor-MS também tem feito um levantamento de quais veículos de sua base aderiram à redução de jornada de trabalho dos jornalistas.

O sindicato busca ainda retornar com a confecção das carteiras de identificação emitidas pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e pela Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ), que são fundamentais para a identificação do jornalista no exercício da profissão. Como o documento precisa ser feito presencialmente, devido à necessidade de coleta de assinatura e de digital, sua confecção foi interrompida temporariamente em razão do isolamento social.

A carteira da FENAJ serve como identificação pessoal e identidade civil dentro todo território nacional. Já a da FIJ permite que o jornalista seja identificado até mesmo fora do Brasil, com direito, em alguns países, a descontos ou até gratuidade em eventos. No entanto, para obter a carteira internacional do jornalista, é preciso que o profissional já tenha a carteira nacional. 

Retrospectiva


Logo no início da pandemia, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS) aconselhou os veículos de comunicação a tomarem uma série de medidas para garantir a segurança e saúde dos profissionais de imprensa. Dentre elas, estão a suspensão de coletivas de imprensa presenciais, substituindo por coletivas online, adequação ao home-office quando possível, e, afastamento imediato de pessoas com sintomas da covid-19 ou que já tiveram contato com infectados. 

Além disso, o Sindicato também conversou com os principais veículos de comunicação de Campo Grande para verificar quais medidas foram adotadas, e se estão dando devida proteção aos seus profissionais. Foi apurado que: a TV MS Record e TV Morena proibiram o retorno de cinegrafistas às redações após gravações externas; a TV SBT MS e TVI suspenderam entrevistas de estúdio, e estão dando prioridades para as externas; o Campo Grande News, TopMídia News, Diário Digital e Midiamax reduziram os profissionais nas redações. 

Os jornais impressos Correio do Estado e O Estado MS também limitaram o número de profissionais nas redações. “No começo da pandemia, Campo Grande foi a nossa primeira preocupação por abrigar a maior parte de jornalistas e veículos de comunicação. Entramos em contato com toda a imprensa para saber quais providências e precauções estão tomando com todos os funcionários. A rigor, todas as empresas tomaram medidas de distanciamento social, e uso de álcool em gel”, afirma o presidente do Sindjor, Walter Gonçalves Filho.

No mês de julho, o Sindjor-MS enviou um ofício para a Secretária de Saúde Estadual (SES) e conseguiu 350 testes rápidos e gratuitos para os jornalistas de Campo Grande. Logo depois, esse direito foi estendido também para o interior do estado, nos 53 municípios que compõem sua base sindical. Foram priorizados jornalistas que estão na “linha de frente”, no dia a dia de coberturas jornalísticas e os que são do grupo de risco. A testagem teve início na capital e só depois chegou no interior.

Segundo o presidente do Sindjor-MS, já foram registrados 20 casos de coronavírus em jornalistas na capital (estuda-se um caso de reinfecção da doença) e uma morte. Também há casos da covid-19 no interior do estado. 

Enquanto acompanhava os casos e as testagens, o sindicato constatou casos de descumprimento das medidas de segurança, no combate à covid-19 por parte de veículos de imprensa, como Correio do Estado e TVI. Nesses veículos, funcionários, mesmo infectados pelo novo coronavírus, continuaram circulando pelas empresas. O caso resultou na abertura de uma investigação pelo Ministério Público do Trabalho, contra o Correio do Estado pois, naquele momento, não houve liberação desses profissionais para o home office.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

ONDE ESTAMOS

QUEM SOMOS

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (SindJor-MS) é uma entidade representativa da categoria em âmbito estadual, com exceção de 25 cidades localizadas na região Sul do estado, sob domínio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran). O SindJor-MS está registrado sob o CNPJ nº 15.570.575 0001/17

Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.
Telefone de contato: (67) 3325-5811
EXCEPCIONALMENTE estamos atendendo apenas pelo email sindicatojorms@gmail.com.

ÁREA DE ATUAÇÃO